Buscar

DUBLÊ DE CORPO de Tess Gerritsen

E cá estou eu, escrevendo a minha primeira resenha! Mas, confesso, que há muito tempo não devorava tão rápido um livro como devorei o Dublê de Corpo da Tess Gerritsen, autora que inclusive eu nem conhecia, mas que se tornou em pouquíssimo tempo uma de minhas autoras preferidas.


Pelo que andei pesquisando, este livro é o quarto da série de Tess, vindo depois de O Cirurgião, O Pecador e O dominador.


Tudo começa com uma introdução muito sinistra com uma garota chamada Alice Rose, recém-chegada na cidade, 14 anos, apaixonada pelo colega de classe Elijah que, um dia, a pretexto de ajudá-lo num trabalho de biologia, a leva para uma floresta e a joga dentro de um buraco, deixando-a presa e apavorada por horas. Só aí quase infartei. Foi daí que pensei que esse livro, sim, seria diferente dos outros e que, de alguma forma, me surpreenderia.


Em outro momento, a história se vira para Maura Isles, uma patologista forense, que voltando de Paris, vê a rua de sua casa toda interditada por carros de polícia e muitos curiosos que ao vê-la se espantam, como se estivessem vendo um fantasma. No local, a presença de diversos personagens e inclusive a detetive Jane Rizzoli, grávida de oito meses que a olhava assustada acreditando que ela havia sido assassinada. Na verdade, Maura descobre em seguida, que uma mulher idêntica a ela, havia sido assassinada próximo à sua casa. Dessa forma, começa toda uma investigação de quem seria a clone de Maura, por que havia tanta semelhança entre as duas.


Toda uma investigação com cenas que te prendem a atenção começa a acontecer e um outro trama se desenrola juntamente da morte da clone envolvendo a todos os personagens de forma impressionante e motivante. O desenrolar é surpreendente. Você fica se perguntando a todo tempo quem é o culpado e por mais que você arrisque e escolha o seu condenado, você acaba errando. Eu errei muitas vezes e confesso, adorei ter errado, porque realmente, eu senti que me surpreendi.


A forma como a autora descreve cada detalhe, cada necropsia, cada cena e lugar, nos leva junto ao universo dos personagens e seu coração fica tenso na expectativa do "o que será que irão encontrar?" Fabuloso! Tess Gerrrintsen agora é uma de minhas autoras preferidas e eu não vejo a hora de ler os outros livros.


"Sou eu. Aquela mulher sou eu."

Super recomendo a leitura se você adora um suspense e livros policiais!

Até o próximo livro!! Cris Souza Fontês


#tessGerritsen #Dubêdecorpo #resenha #resenhadelivros #crissouzaFontês

10 visualizações

Posts Relacionados

Ver tudo
EM DESTAQUE
RECENTES
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square